sábado, 22 de outubro de 2011

                                                 

                                                          VIAGEM  MOMENTÂNEA

                                               Quando o peso dos dias incomoda,
                                               fico longe de mim,
                                               aprisiono as horas.
                                               Deixo-me levar  em viagem.
                                               Viagem diária, necessária.
                                               Vou  além,  aquém,
                                               numa nuvem imaginária.
                                               Meus destinos são sempre encontros,
                                               felizes, emotivos , nostálgicos.
                                               Pertencem a um mundo acabado
                                               mas sempre presente, sempre visitado.
                                               O  roteiro me vem aleatório.
                                               Menino, olho da janela a paisagem luminosa dos dias.
                                               Caminho sem medos  e contratempos,
                                               levo sonhos e alegrias.
                                               Jovem, vejo nos olhos da amada
                                               a tarde ensolarada, plena  magia
                                               pulsando momentos sem fim,
                                               idílios, beijos , carícias, sonho , energia.
                                               Filho, a benção materna nas manhãs amenas
                                               os gestos delicados, benfazejos,
                                               distribuindo a paz, o alento.
                                               O olhar, palavras ternas conselhos.
                                               Amigos, invenção de aventuras,desatinos,
                                               descoberta de tantos segredos.
                                               Felicidades, cumplicidades,  medos.
                                               A fidelidade  entrelaçando destinos.
                                               E qual pássaro sem horizonte sempre volto
                                               No findar da tarde,
                                               refletido no arrebol, mesclando nuvens.
                                               Eis-me  então , renovado .
                                               Liberto as horas  e a vida continua.
                                              
                                              
                                                                                         Aureliano

                                                                                                             
                                                                                                                   Fábrica de Letras 


                                              
                               

8 comentários:

  1. Boa noite, querido amigo Aureliano.

    Que poema maravilhoso...Bravo!
    (Muito obrigada pela honra da sua visita e pelo comentário muito, muito gentil).

    Estou lhe seguindo e será um prazer visitá-lo.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns também, para o autor da "tela".

    Maria Auxiliadora (Amapola)

    ResponderExcluir
  3. Adorei a ginástica no relógio à direita.

    ResponderExcluir
  4. As vezes é preciso ficarmos à distância para saborear os nossos próprios passos e avaliar a caminhada.
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. O som das palavras
    Vinham da alma
    Enquanto a música
    Tocava nos sentimentos
    E a poesia era uma viagem
    Que de dentro partia
    Num voo pelas lembranças
    Cheias de sentimentalidades...

    Acabei viajando junto Aureliano
    Lindíssimo seu poema e não só esse
    Todos que li aqui são belíssimos parabéns!

    Obrigada por me deixar seus comentários
    Senti-me honrada com a visita do mestre.

    Um afetuoso abraço no seu coração!

    Regilene

    ResponderExcluir
  6. Tudo perfeito parabéns!!

    Qe você tenha um ótimo dia!

    Espero por você no Alma!

    ResponderExcluir
  7. Muito bonito amigo, e como é bom fechar os olhos
    e viajar.
    Nós podemos ir para onde quisermos, ninguém para impedir, a não ser a realidade que nos trás carinhosamente de volta para o que somos.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Que lindeza de poema Aureliano...momento divino de sua inspiração...adorei...há momentos que fazer uma viagem momentânea é tudo o que mais precisamos...
    Beijos...
    Valéria

    ResponderExcluir